Resoluções de ano novo: Aprende a planeá-las e a cumpri-las!

Resoluções de ano novo: Aprende a planeá-las e a cumpri-las!

As resoluções de ano novo são tema de conversa sempre que chegamos ao mês de dezembro. Todos nós gostamos de fazer um balanço do ano que termina e muitos planos para o seguinte! No entanto, será que o estamos a fazer da melhor forma?

Ainda te lembras de tudo o desejavas para 2018? A ideia deste artigo é desafiar-te a segurar as rédeas da tua vida e da tua carreira, antes que o fim do ano chegue. Nesse sentido, é importante que deixes por escrito as tuas resoluções de ano novo. Cria um documento simples, fácil de manipular, rapidamente acessível, para que seja possível a todo o momento relembrar as tarefas, metas e objetivos para 2019.

Proponho uma metodologia de quatro passos simples para fazer este trabalho. Não saltes para o seguinte sem completar o anterior.

 

Porque deves fazer este plano de resoluções de ano novo?

A maior parte das pessoas que conheço têm ambições pessoais e profissionais para o próximo ano. Sonha, por exemplo, com uma promoção ou um reconhecimento. Em muitos casos, deseja mudar de empresa ou até de carreira. No entanto, estes objetivos acabam por ser esquecidos logo no início do ano devido às tarefas do dia-a-dia. Por esse motivo, é necessário criar um plano estratégico com as resoluções de ano novo.

Esta é uma oportunidade para fazeres uma reflexão sobre o teu futuro. Além disso, é um momento para criares compromissos, seja através de pequenas ações ou de hábitos a incorporar no dia-a-dia.

O plano de resoluções de ano novo pode demorar mais ou menos tempo a fazer. Tudo depende da clareza com que os sonhos e objetivos estão definidos na tua cabeça.

 

1º Passo – A minha visão e a minha missão

Nesta primeira fase do processo de definição de resoluções de ano novo, deves focar-te na missão e na visão. Na missão, deves analisar o teu propósito de vida, os teus sonhos e a tua carreira. Além disso, deves refletir sobre o que gostas de fazer e o que te faz feliz. A visão é, por sua vez, um objetivo temporal, algo atingível e real. No entanto, para ser claramente motivador, deve ser suficientemente grande e estar suficientemente distante.

 

2º Passo – Análise SWOT

Esta fase é baseada numa tabela de quatro entradas. Duas são de análise interna (forças e fraquezas), enquanto as outras duas são de análise externa (oportunidades e ameaças).

Relativamente à análise interna, esta deve passar primeiramente por ti e responder às questões que se seguem.

Forças:

  • Que conhecimentos e competências tenho e posso potencializar?
  • Como posso usar as minhas competências para melhorar a minha vida?

Fraquezas:

  • Quais os conhecimentos de que sinto falta?
  • Que formação devo fazer?
  • O que posso melhorar?
  • Quais as competências comportamentais de que preciso?

Concluída a reflexão interna, deves, em seguida, olhar para o que te rodeia e fazer a tua análise externa.

Oportunidades:

  • Conheço o que me rodeia?
  • O meu mercado de trabalho está a crescer?
  • Que mais posso fazer?
  • Existe possibilidade de crescimento ou tenho que procurar fora?

Ameaças:

  • O mercado de trabalho está a diminuir?
  • Estou com a minha posição ameaçada?
  • Existem pessoas melhor preparadas para desenvolver as minhas atividades ou os cargos que desejo?

Por fim, ordena as respostas com base na importância de cada uma dentro do respetivo quadrante.

 

3º Passo – Plano estratégico

Para fazerem este trabalho, muitas empresas recorrem à utilização da metodologia Balance Score Card. Dessa forma, estabelecem uma série de metas auditáveis, ou indicadores de atividade. Posteriormente, dividem o processo em quatro vetores: Financeiro, Clientes, Processos Internos e Recursos.

Contudo, a minha sugestão é que o faças não em quatro, mas em cinco entradas. Deves introduzir indicadores importantes, porque se trata de ti e da tua vida. Coloca, portanto, a ti mesmo as seguintes questões, importantes para traçar e cumprir as resoluções de ano novo.

As minhas finanças

  • Quais as metas para a minha vida financeira?
  • Quanto vou ganhar?
  • Quanto vou poupar?
  • Quanto é que preciso de investir?

O meu mercado

  • Que e quantos contactos devo desenvolver?
  • A que eventos devo assistir?
  • Que divulgação devo fazer?

A minha carreira

  • Que metas defino para a minha carreira?
  • O que devo fazer na minha empresa?
  • Para que empresa desejo mudar (caso seja esse o meu interesse)?

Os meus recursos

  • Que competências vou desenvolver?
  • Que hábitos devo adquirir?
  • Que contactos vou ter?

Eu

  • Como avalio a minha vida familiar?
  • Que livros quero ler?
  • Que hobbies quero ter?

Deixo aqui uma imagem de um mapa onde podes descrever todas estas metas, repartidas pelas diferentes áreas.

Mapa

 

4º Passo – Tarefas e indicadores

Por fim, deves definir as tarefas e os indicadores para atingir as resoluções de ano novo definidas no passo anterior. Estas atividades podem ser novas ou já habituais e devem ser claras e objetivas. Assim, terás forma de validar sistematicamente o trabalho e as ações que estás a desenvolver e medir o teu progresso.

Deves criar, pelo menos, um indicador e uma tarefa para cada uma das metas. Apresento-te aqui um exemplo.

 

Indicador

 

Em suma, mais importante do que desenvolveres e preencheres este ficheiro é que o tornes visível e disponível para ti e que te empenhes em cumprir tudo aquilo que lá colocares.

Espero ter-te ajudado a elaborar os teus planos e resoluções de ano novo. Estas são, sem dúvida, técnicas que te podem ajudar a melhorar a tua carreira, a tua vida e a dos teus. Para isso, só precisas de ser mais objetivo, mais esclarecido, mais focado e menos exposto ao acaso. Um excelente ano!

 

Vítor Veiga

Consultor IHTP Academia Liderança

 


Subscreva o nosso blog!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *