Reconhecimento do valor e mérito das pessoas nas organizações!

Reconhecimento do valor e mérito das pessoas nas organizações!

Reconhecimento é uma atitude chave no dia-a-dia. A capacidade de reconhecer valor e mérito na atitude ou trabalho de uma pessoa, é extremamente importante. Muitas vezes, associada à falta ou ausência de reconhecimento, surge a dor, o desânimo, a desilusão ou a frustração. A dedicação, o empenho e a proatividade, não foram valorizadas. Quando há razões, que não nos falte coragem para incentivar e motivar com um saudável e sentido reconhecimento.

 

Sobre o ato de reconhecer

Tive o prazer de há alguns dias, ir a palco, numa Instituição do ensino superior para receber um reconhecimento, o de parceiro de RH dessa Instituição que celebrava os 20 anos dos Recursos Humanos na sua oferta.
Soube-me bem, claro. Chamem-lhe massagem ao ego ou o que entendam adequado à situação em causa. O ser humano em geral adora o reconhecimento, “tell me not”.

O que foi reconhecido nesse momento? Reconhecer afinal o quê? Um longo processo de cooperação de quase 20 anos entre essa Escola e eu? Também, mas acima de tudo a capacidade que muitas pessoas tiveram de trabalhar em conjunto. O propósito comum? O de permitir que a matéria-prima dos cursos recebesse contributos para o seu desenvolvimento pessoal e profissional, na maior parte do tempo, alunos e, em dados momentos, na pele de estagiários, curriculares especialmente.

Reconhecer os Coordenadores de Licenciaturas e Mestrados e dos estágios, professores que, com orçamentos muito curtos e muitas vezes com expensas próprias, empenharam-se em apoiar esses alunos.

Reconhecer as organizações onde, ao longo dos anos, desenvolvi actividade apoiado por uma equipa de excelentes profissionais e onde pude colocar em prática as minhas ideias. Recolhi muitos e bons contributos com o desenvolvimento de soluções que interessaram e enriqueceram todas as partes. Para mim foi extremamente benéfico.

Reconhecer que o trabalho, quando sério e qualitativamente superior, é uma bênção para todos.

Reconhecer que os alunos aproveitaram a oportunidade que lhes foi dada.

Reconhecer que há ingredientes mágicos: a atitude e o compromisso de todos os intervenientes nos processos, sem excepção. O resultado estará espalhado, acredito, pelas empresas que acolheram nos seus quadros os profissionais de excelência em que se terão transformado.

 

Atitude e compromisso: elementos chave

As empresas, as escolas, a sociedade em geral, não pensarão o futuro como algo que pode ser moldado e construído com o design, o detalhe ou definição de pormenores que façam a diferença entre a ilusão ou o desejo e a realização. A diferença estará sem dúvida na atitude e no compromisso de quem lidere o processo ou, se a título individual, se auto-lidere.

Também não fará parte do ADN Português uma cultura do reconhecimento simples do mérito, da competência, da capacidade que as pessoas colocam à disposição da sociedade em geral e das empresas em particular. Seremos mais do tipo “é melhor não, porque a seguir pensa que é o maior e depois…”. Felizmente temos visto uma progressiva mudança destes comportamentos e hoje até há casos de exageros no reconhecimento público. Dirão alguns que nunca é demais. Subscreveria essa ideia se a qualidade surgisse associada à quantidade.

 

Reconhecimento causa satisfação e melhora resultados

São os jovens licenciados e mestres que, ao entrarem nas organizações, plantam muitas vezes a semente do reconhecimento interno. Com esta observação, em momento algum, se pretende tirar o mérito a quem já lá esteja e a trabalhar nesse sentido. Se a cultura da empresa for permeável, seguramente que o sucesso das pessoas será desejado e reconhecido, premiado de formas diversas. Na verdade, acredito que essa seja a melhor atitude que as organizações devem ter. Pessoas satisfeitas geram melhores resultados, quantitativa e qualitativamente falando.

E se reconhecer for a expressão sincera de um afecto da organização para com as suas pessoas? Sim, se uma organização são pessoas, então estão necessariamente presentes os afetos, isto é, há ligações ou vínculos. Então, seja pela estima ou admiração, o certo é que será evidente para todos um desempenho naturalmente superior e como tal aceite e/ou proposto a ser reconhecido pelas pessoas da organização. Esta onda emocional pode transformar pessoas e áreas até aí ligeiramente tocadas ou pouco interessadas, em seguidores hoje e fãs amanhã, pois a ser verdadeira e congruente todos sem excepção a vão querer surfar.
Reconhecer-se será uma “boa onda”? Surfe-a e saberemos reconhecer.

 

António Balau

HR & Coaching Academy Manager IHTP

 


Subscreva o nosso blog!

 


2 responses to “Reconhecimento do valor e mérito das pessoas nas organizações!”

  1. Concordo totalmente António Balau!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.