Ansiedade: Como podem a PNL e a Hipnose ajudar a combatê-la?

Ansiedade: Como podem a PNL e a Hipnose ajudar a combatê-la?

A ansiedade é também conhecida como síndrome do pensamento acelerado. A sua origem etimológica vem do latim anxietas, anxius e anguere. Estas palavras significam, respetivamente, “angústia” e “ansiedade”, “perturbado” e “pouco à vontade” e “apertar” e “sufocar”.

Produzida por fatores baseados numa preocupação exagerada, a ansiedade provoca tensão, medos, bem como sintomas físicos, sem fundamento real. Com uma presença cada vez maior no ser humano, esta é considerada a “doença” do século. Decorre, com efeito, da pressão e do stress sentidos no dia-a-dia.

 

Os diferentes tipos de ansiedade

  • Perturbação de pânico: Pode caracterizar-se por ataques de pânico frequentes. Quem sofre desta perturbação está sempre com receio de que as crises possam recorrer. Esta situação acaba por provocar ainda mais ansiedade e instabilidade emocional.
  • Ansiedade generalizada: É caracterizada por uma preocupação excessiva, no dia-a-dia, sem causa aparente.
  • Perturbação obsessivo-compulsiva: São comportamentos ou impulsos inoportunos que despoletam ansiedade e que acabam por ser persistentes. Por exemplo, o indivíduo é incapaz de se controlar relativamente a um simples lavar de mãos. Faz limpeza generalizada a toda a hora, necessita de sentir controle absoluto sobre as situações e faz contagens exaustivas.
  • Stress pós-traumático: São acontecimentos experienciados que, em determinado momento, acabam por ressurgir. Reviver constantemente no presente estes acontecimentos traumáticos, através de imagens, palavras ou pensamentos, gera um aumento da instabilidade emocional. Dessa forma, acaba por dar origem a insónias, irritabilidade, falta de concentração, entre outros sintomas.
  • Fobias: O indivíduo sente um medo exagerado face a um objeto, a um animal ou a uma determinada situação. Contudo, a ansiedade sentida é excessiva em relação ao perigo real que essa experiência ou exposição representam naquele determinado momento.

 

Sintomas de ansiedade

Físicos:

  • Falta de ar e apertos no peito;
  • Tensões musculares;
  • Insónias;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade em respirar, bem como sensação de nó na garganta;
  • Espasmos.

Psicológicos:

  • Nervosismo;
  • Agorafobia;
  • Medo constante;
  • Preocupações exageradas e descontrolo de pensamentos;
  • Falta de concentração.

 

No meu trabalho como terapeuta de Hipnose e practitioner de PNL, encontro muitas pessoas com diferentes tipos de ansiedade. Muitas delas já foram diagnosticadas anteriormente e estão controladas através de medicação. No entanto, alguns pacientes, conscientes das sequelas, recusam-se a continuar o tratamento e a tomar fármacos devido aos efeitos secundários.

 

A ansiedade resulta das nossas próprias distorções cognitivas

Vivemos num mundo de suposições e com poucos objetivos. Só que essas suposições acabam por tornar-se incertezas e acontecimentos duvidosos. Apesar do potencial de gerar esperança ou medo, felicidade ou dor, podem dar origem a “alucinações“, cansaço e desgaste.

Este trata-se de um procedimento auto-hipnótico contínuo e ativo, que pode trazer benefícios à saúde. Ao antecipar futuros desafios e objetivos, conseguimos estimar a sua importância e, além disso, perceber a nossa capacidade de reagir.

Numa pessoa saudável, o medo consiste numa avaliação realística da gravidade do desafio. Além disso, é capaz, de forma hábil, de mobilizar o corpo para enfrentá-lo. Através do aumento da pulsação e da respiração, os músculos acabam por ser estimulados. Pelo contrário, numa pessoa que sofre de ansiedade, registam-se determinadas distorções cognitivas.

Através de PNL e Hipnose, é possível trabalhar essas mesmas submodalidades e o subconsciente. Às vezes, é feita uma ressignificação da visão, audição e sensação que a pessoa possa estar a ter.

 

Como tratar a ansiedade com PNL e Hipnose?

Quem sofre de ansiedade e me contacta (a mim ou a outro terapeuta), procura, acima de tudo, conselhos e apoio. O objetivo é colocar em ação um plano que permita mudar a sua vida. Apesar de não possuirmos uma varinha de condão que resolva o problema, conseguimos fazer mudanças significativas. Para que isso aconteça só precisamos que faça o que sugerimos e que esteja aberto à experiência.

Com a Programação Neurolinguística (PNL), explicamos ao cliente como o cérebro funciona. Assim, ajudamos a inverter as distorções cognitivas que o levam a determinadas situações de ansiedade. Isso é feito através da ressignificação dos sintomas, alteração de submodalidades, recursos/soluções e ainda ensinar a aplicação de transe e âncoras de relaxamento.

Com a Hipnose, tentamos descobrir a origem da ansiedade e perceber o que provocou os sintomas. Através de algumas técnicas, é possível aplicar gatilhos no seu inconsciente e, assim, redirecioná-lo em tarefas, palavras e atitudes.  

Dessa forma, não só iremos desacelerar o cérebro como melhorar o equilíbrio dos neurotransmissores (por exemplo, serotonina, dopamina ou noradrenalina). Os mesmos vão servir de combustíveis para o cérebro realizar determinadas funções.

 

Para o bem e para o mal, a força está na mente

A nossa mente é poderosa. Do mesmo modo que consegue tornar incontroláveis o medo, o nervosismo e a ansiedade, também pode ser usada de forma positiva. A força que tem para conseguir afetar de maneira destruidora a sua vida pode ser usada para ultrapassar os problemas.

Nesse sentido, há algumas dicas que pode seguir para combater a ansiedade: Pare, descanse, divida tarefas, não exerça pressão, comunique, medite e leia. Estas sugestões podem ser designadas como tratamento de limpeza para a ansiedade. Além disso, servem para prevenir outros problemas que daqui advêm: as fobias e o pânico, bem como a depressão. Cuide do seu ser!

 

Ricardo Loureiro

Consultor IHTP Academia Saúde e Bem-Estar

Hipnoterapeuta

 


Subscreva o nosso blog!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.