Matar a vaca ou mugir a vaca?

Matar a vaca ou mugir a vaca?

(baseado no Livro “A Vaca”, de Camilo Cruz)

Já leu o livro “A Vaca”? Então, se não leu, faça-o o mais breve possível; se já leu, parabéns por ter investido em si.

Diz na capa (para os cotas de estilo que como eu continuam a gostar de sentir papel nas mãos e cheirar aquele agridoce que tem um livro novo – e sim, pode não ser muito ecológico ou moderno, mas é verdadeiro), «como livrar-nos dos conformismos e das desculpas que nos impedem de triunfar».

E esta é a verdadeira luta na área comercial. O continuarmos a fazer como sempre fizemos ou abrir-nos a novas experiências.

Para quem entende que devemos continuar a mugir a vaca, o resto do artigo não terá grande importância… A ideia de que “em equipa que ganha, não se mexe” pode ser um erro catastrófico. Principalmente em tempos como os que vivemos, em que as inovações, os gostos e a forma como encaramos as situações, quase mudam de dia para dia. Para além disso, estamos sempre a “jogar” contra outra “equipa”.
E quem lhe diz que essa “outra equipa” (e façam aqui um entendimento para a concorrência ou até os próprios clientes) não melhorou?
E se o fez, foi em que direcção?
Então, continuar a insistir que fazemos assim porque sempre se fez assim, pode claramente levar a que vaca deixe de dar leite. 

Por muito interessado(a) que seja o(a) ordenhador(a) e por muito boa que tenha sido em tempos a própria vaca, ela também cresceu ou diminuiu e mudou.
Continuar agarrado(a) aos resultados do passado é perceber que eles apenas lhe darão isso: memórias para contar. E mesmo essa reputação que tem, vai ser uma vaca que precisa “matar” porque também é isso que o impede de aprender algo novo e apostar numa nova versão de si!

Então, matar a vaca não é mais do que deixar de parte ou para trás tudo o que nos impede de melhorar., enquanto profissionais e especialmente enquanto pessoas.

Ter sido o(a) melhor da minha área não me faz continuar a ser o(a) melhor!
Ter atingido o primeiro lugar no que já fiz na vida, não me faz continuar a ser o(a) primeiro(a).
Comece por matar essa imagem e comece a construir a ideia de procurar resultados maiores, como quando começou a sua caminhada.

Como se sentia a cada pequena conquista?
Como imaginava que iria ser quando lá chegasse?
Onde queria mesmo chegar?
A quem precisava recorrer para o(a) ajudar nessa caminhada?
O que mais tinha de fazer?

Todas estas perguntas (e muitas outras mais), ajudam a ir matando a vaca. Ajudam a que se questione e essa é a única forma de a nossa cabeça melhorar: é perguntando e deixando-a encontrar a resposta. Quer seja por aquilo que lê, por aquilo que experiencia, ou por aquilo que aprende. 

Pôr-se à prova, experimentar uma nova forma de fazer, esquecer as vozes estranhas que por vezes andam na sua cabeça, olhar para o que faz com uma nova perspectiva ou apenas parar e perceber o que anda a fazer, são formas de tornar a matança da vaca mais tranquila para si!
Podemos matar a vaca aos poucos ou matá-la de uma vez só. 

Escolha o que é melhor para si mas escolha especialmente não ficar no mesmo lugar. Escolha acompanhar os seus clientes e o seu mercado, escolha estar atento(a) e entender que nem sempre novo significa menos bom e entenda que, se a mudança for sua, tudo vai acompanhá-lo(a)!  

Já diz o nosso povo: “primeiro, estranha-se e depois entranha-se”! e no meio da sua sabedoria, ele sabe o que diz!
Se olhar à sua volta, tudo está a mudar. Os nossos hábitos, o nosso entendimento das coisas, a forma como comunicamos, como compramos, como vendemos.

Se servir os seus clientes foi a razão porque se tornou vendedor(a), como se atreve a não lhes dar o melhor serviço?

Como se atreve a não matar a vaca?????

 

Cristina Sousa

Consultora I Have the Power

 

Sente-se sem apoio ou sem saber como ou por onde começar? Contacte a nossa equipa de consultores ou vá a www.ihavethepower.net. Teremos a solução para si! 

 

One response to “Matar a vaca ou mugir a vaca?”

  1. Álvaro Magalhães diz:

    Parabéns Cristina!
    Mais um excelente artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *