PORQUE HÁ DIAS… (para ser lido, sem culpas, apenas por comerciais que aceitam a sua condição de humanos)

PORQUE HÁ DIAS… (para ser lido, sem culpas, apenas por comerciais que aceitam a sua condição de humanos)

Porque há dias em que nos sentimos mais em baixo!
Seja porque algo em casa nos transtorna, seja porque algo no trabalho nos incomoda.
Porque há dias em que simplesmente não apetece!
Já tiveram desses dias? Desses dias em que apetece voltar para o pijama e deixar-nos ficar.
Ficar como se o tempo não passasse e as horas não voassem à nossa volta. Ficar apenas por ficar.
Ficar porque não há nada melhor para fazer do que não fazer.
Não exactamente um estado de não fazer nada, porque a cabeça voa alto.
Voa porque não consegue estar parada.
Voa porque a alma nos pede algo, menos acção. Mas, é um estado de não fazer, fazendo… Já tiveram desses dias?
Provavelmente não… Porque como bons profissionais que somos, comerciais dos quatro costados, nunca ficamos!
Vamos sempre!
Vamos para a rua (ou nos últimos tempos, para as sessões de um Zoom ou Skype qualquer)!
Vamos para ajudar os nossos clientes! Vamos! Vamos cada vez mais! E, por vezes, perdemo-nos dentro do vamos!

Obviamente, não ficamos muito tempo nestes dias! Aliás, diria que quem fica muito tempo nestes dias, acaba por deixar de fazer o que faz.

A nossa cabeça não aguenta a tristeza do não fazer ou do fazer contrariado. É assim o nosso cérebro! Sempre à procura da luzinha da alegria! Da próxima emoção de fechar mais um negócio, de fazer mais uma venda. Essa procura de outra dose dessa excitação, desse frenesim de ouvir um cliente dizer “sim”!

E é essa busca de mais uma emoção (especialmente se a próxima for de intensidade superior à anterior) que faz como que vamos. E vamos sempre!
Porque, na realidade, a noção de que iremos ajudar mais uma pessoa, de que faremos a diferença, de que a nossa presença e companhia terá um efeito positivo no dia de alguém, leva-nos a fazer! A concretizar! A visitar! A telefonar! A mandar uma mensagem! A partilhar algo numa qualquer rede social! Porque isso, fará a diferença para alguém!
Então, que seja esse o sentimento que nos leve! Que nos faça ir!
Sem fazer de conta! Sem sorrir quando não apetece! Sem lisonjear quando nos apetece criticar! Sem artes e artimanhas! Simplesmente, que seja a noção de que fazemos a diferença na vida de alguém que nos leve a continuar!

 

E já que vamos fazer a diferença na vida de alguém, porque não na nossa?

Porque não canalizar essa energia para que a primeira pessoa que realmente melhore sejamos nós???
Ser o centro da nossa atenção!
E sim, eu sei que sempre que estivermos com um cliente, temos de nos esquecer de nós e focar toda a nossa atenção e energia nele. Nem poderia ser de outra forma. Mas, tirando esses momentos, porque não passar a olhar para nós próprios como a pessoa mais importante da nossa vida?
No que queremos ainda atingir; no que queremos alcançar; no que sabemos que somos capazes de ainda fazer; no que temos ainda por viver; nas pessoas que ainda queremos conhecer e ajudar; na vida que queremos viver; na felicidade que queremos experienciar! E tudo porque focamos no que queremos!
E não perdemos esse foco! Mantemos claro na nossa cabeça o que queremos! O que desejamos! E que ainda nos falta alcançar! Por isso, faremos o que for preciso! O que a vida nos dizer que é preciso! Pois, essa força de fazer mais e mais, vem exactamente desse querer! E querer ainda é poder! E o que todos queremos é ser felizes!

 

Ser feliz e fazer o que gostamos não são contradições. São complementos! E que seja esta a nossa maior certeza! Todos os dias! Especialmente quando houver dias! Para que haja cada vez menos dias! E para que haja cada vez mais felicidade!!!

 

Cristina Sousa
Consultora IHTP

Academia Desenvolvimento de Negócios

One response to “PORQUE HÁ DIAS… (para ser lido, sem culpas, apenas por comerciais que aceitam a sua condição de humanos)”

  1. Paula Sequeira diz:

    Fonte de inspiração e motivação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *