Orientação vocacional: Perceba como pode ajudar os seus filhos

Orientação vocacional: Perceba como pode ajudar os seus filhos

A orientação vocacional é uma questão que muito preocupa os alunos e os pais. Os primeiros experimentam estados de ansiedade por não saberem que área profissional escolher. Já os segundos acabam por ficar apreensivos com o futuro dos filhos.

Existem períodos específicos de maior preocupação, como o final de um ano letivo e o início do seguinte. Mas a preocupação que esta questão gera é, de certa forma, transversal. Como tal, é muito interessante observar o comportamento dos pais.

Para descansar muitos encarregados de educação e trazer mais confiança às decisões dos alunos, gostaria de partilhar uma dica. Esta vai contribuir para uma solução a vários níveis na vida e no futuro dos jovens estudantes.

 

Experiência de vida para ajudar na orientação vocacional

 

Tenho trabalhado com jovens estudantes que sentem muita dificuldade em escolher uma área profissional. Parece que vivem no medo do que irão encontrar no curso X ou Y. Há uma coisa em comum entre estes jovens: a falta de experiências e atividades práticas exploratórias.

O que quero dizer com isto? A experiência de vida de vários estudantes resume-se à escola e pouco mais. Sem experimentar, o jovem dificilmente terá certezas. A única certeza será a de que não tem certezas.

A minha dica é simples: durante as interrupções de aulas (Natal, Carnaval e Páscoa), as férias de verão e os fins de semana, incentive o seu filho a integrar ou desenvolver atividades como:

  • Voluntariado;
  • Apoio em atividades/eventos culturais e desportivos;
  • Trabalho com o pai, mãe ou outros familiares na sua empresa;
  • Trabalhos temporários;
  • Viajar e conhecer outras culturas e realidades;
  • Organizações juvenis de cariz social/empreendedor/desportivo.

Os ganhos que os jovens poderão obter com estas experiências são enormes:

  • Crescimento da sua rede de contactos e networking;
  • Humildade e empatia;
  • Capacidade de gestão de conflitos, trabalho de grupo, cooperação e liderança;
  • Sentido de justiça;
  • Maior valorização do trabalho e do dinheiro (não cai do céu);
  • Resiliência, superação de obstáculos e o sabor das conquistas;
  • Maior autonomia e responsabilidade sobre si e as suas decisões;
  • Saber o que significa fazer parte de uma organização e a quanto isso obriga;
  • Sair do seu “mundo” e conhecer outros “mundos”, expandindo a sua mentalidade e o tamanho dos seus sonhos.

 

Experimentar para descobrir novas opções

 

Se apenas comermos sopa de legumes e nunca tivermos provado outra, a nossa escolha recairá sempre sobre essa opção. Ou então sobre a rejeição da mesma!

Na ausência de outras experiências, mesmo que recomendadas por outros, será difícil fugir de algo que já conhecemos. Só depois de experimentar é que podemos ter uma opinião ou tomar uma decisão clara e objetiva. Ao ponto de, no futuro, até podermos descobrir uma nova sopa favorita.

Em termos de orientação vocacional, com os seus filhos acontece algo muito semelhante. Ajude-os a criar experiências diversas e incentive-os a sair da sua zona de conforto para conhecerem o mundo ao seu redor.

Tal permitirá enriquecer o seu portefólio de experiências e emoções. Além disso, alargará o leque de possibilidades para tomar decisões no futuro, sempre com base no que já sabem e no que imaginam que poderão conquistar.

 

Aprenda mais sobre os desafios da parentalidade através dos cursos lecionados pela IHTP. Conheça a oferta formativa e saiba como ajudar o seu filho na orientação vocacional e em muitos outros desafios do seu crescimento.

 

QUERO SER UM SUPER PAI

 

Nelson Ramos
Consultor IHTP Academia Educação

 


Subscreva o nosso blog!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *