Covid-19: Informação é poder. Proteja-se do coronavírus!

Covid-19: Informação é poder. Proteja-se do coronavírus!

O surto de coronavírus levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretar pandemia mundial. Grande parte da prevenção passa por conhecer a infeção viral e a forma como esta se transmite.

É fundamental ir beber informação a fontes fidedignas. Infelizmente, com a falta de sensatez de algumas pessoas, aumentam as chamadas fake news. O grande desafio é sabermos distinguir a informação certa da informação errada e não nos deixarmos influenciar pelo pânico à nossa volta.

Eu acredito que com o pânico instalado as pessoas reagem sem pensar, acabando por tomar decisões pobres que põe em risco a sua saúde e a de todos nós. É certo que temos uma situação mundial extremamente desafiante e que o cenário ainda não está a melhorar, pode até demorar mais tempo do que o previsto. Sabendo que não podemos alterar o que se está a passar, a única alternativa que nos resta é controlar o nosso comportamento face à situação. Para tal, vamos conhecer o vírus e o que podemos fazer para adotar as medidas corretas.

 

Como se manifesta e transmite o coronavírus

Covid-19 é a doença causada por um vírus da família dos coronavírus que apresenta, maioritariamente, manifestações semelhantes às da gripe comum:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Falta de ar.

Há casos de Covid-19 que podem evoluir para doença mais grave, como a pneumonia.

O vírus é transmitido por via respiratória, isto é, por via aérea, nas gotículas expelidas quando se espirra ou tosse, por exemplo. Pensa-se que também exista transmissão indireta (através de objetos contaminados por pessoas infetadas – por exemplo, ao espirrar), dado que estudos preliminares sugerem que o vírus sobrevive algumas horas nas superfícies contaminadas.

O novo relatório da OMS revela que em Wuhan, localidade chinesa onde o novo coronavírus foi detetado pela primeira vez, pessoas a cerca de 4 metros de distância de um doente contaminado que espirrou foram contaminadas. Isto potencia ainda mais todas as recomendações atuais para os cuidados a ter.

Estima-se que o período de incubação da doença (tempo decorrido desde a exposição ao vírus até ao aparecimento de sintomas) seja entre 2 e 14 dias. A transmissão de coronavírus por pessoas assintomáticas (sem sintomas) ainda está a ser investigada.

 

Contactos de risco

São considerados contactos com particular risco de contrair a doença:

  • Pessoas que prestem cuidados de saúde, nomeadamente cuidados diretos a doentes com Covid-19, ou que contactem em ambiente laboratorial com amostras de Covid-19;
  • Pessoas que contactem em proximidade ou que tenham estado em ambiente fechado com um doente com Covid-19 (ex: sala de aula, discotecas e bares, ginásios);
  • Pessoas que viagem com um doente com Covid-19. Neste caso, o risco é elevado não só para os companheiros de jornada, mas também para quem viajou em lugares próximos (por exemplo, num avião).

A resposta a um surto destes não é uma questão que apenas diga respeito ao setor da saúde, mas é uma responsabilidade de todos nós. No atual surto de coronavírus, as medidas de prevenção devem ser relembradas e reforçadas junto de toda a população. Cada um de nós tem o dever de dar o exemplo.

Atualmente, não existe uma vacina que permita evitar o Covid-19. Assim sendo, a prevenção é a melhor forma de evitar a infeção.

 

Medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição ao vírus

Segundo a Organização Mundial da Saúde, é fundamental adotar os seguintes hábitos para diminuir os riscos de contrair a doença Covid-19:

  • Tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço. Evitar ao máximo usar as mãos e deitar sempre o lenço de papel no lixo após cada utilização;
  • Lavar as mãos frequentemente. Deve fazê-lo sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes, antes e depois de ir à casa de banho, antes e depois de comer e sempre que tiver tido contato com objetos que possam estar contaminados (multibancos, maçanetas das portas, botões dos elevadores, corrimãos e transportes públicos são alguns exemplos). Deve lavar as mãos durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”, para os mais pequenos) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%;
  • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória;
  • Evitar tocar no nariz, boca e olhos com as mãos;
  • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS) e em função da situação atual em Portugal, não está indicado o uso de máscara para proteção individual, exceto nas seguintes situações:

  • Suspeitos de infeção por coronavírus;
  • Pessoas que prestem cuidados a suspeitos de Covid-19.

O uso de máscara de forma incorreta pode aumentar o risco de infeção, por estar mal colocada ou devido ao contacto das mãos com a cara. A máscara contribui também para uma falsa sensação de segurança.

 

A aposta na prevenção do novo coronavírus

Após a declaração do diretor-geral da OMS, classificando a situação do novo coronavírus como uma pandemia mundial, é importante cuidar do seu sistema imunológico.

Em relação à alimentação, é muito difícil afirmar que existe algum alimento ou dieta que seja específico para combater um vírus. No entanto, podemos melhorar o nosso sistema imunitário para reduzir o risco desta e de outras tantas doenças relacionadas com as defesas.

Imunidade é o nome que se dá à capacidade do organismo de se defender contra invasores, como é o caso de vírus, bactérias ou fungos. Quando as defesas do organismo estão em baixo, as pessoas ficam muito mais propensas a ter pequenas e grandes infeções e quadros como gripes.
É importante reforçar que devemos cumprir as recomendações diárias de consumo de frutas e vegetais de acordo com a roda dos alimentos. Desse modo, consegue uma defesa melhor para o seu organismo.

 

Alimentos que deve incluir na sua dieta

Para reduzir o risco de infeção por coronavírus, é importante cuidar do seu sistema imunitário. Vamos conhecer algumas vitaminas e minerais e descobrir em que alimentos podemos encontrá-las:

  • Ômega-3: Sardinha, salmão, atum, sementes de chia, nozes e linhaça;
  • Selénio: Castanha, trigo, arroz, gema de ovo, sementes de girassol, frango e repolho;
  • Zinco: Ostras, camarão, carne de vaca, frango, peru e peixe, fígado, gérmen de trigo, grãos integrais e frutos;
  • Vitamina C: Laranja, tangerina, ananás, abacaxi, limão, morango, melão, mamão, manga, kiwi, brócolos e tomate;
  • Vitamina E: Sementes de girassol, avelã, amendoim, amêndoas, pistácio, manga, azeite, tomate e nozes;
  • Vitamina A: Cenoura, babata doce, manga, espinafres, melão, pimentão vermelho, brócolos, alface e ovo;
  • Probióticos: Iogurte natural e leite fermentado tipo kefir para manter a saúde intestinal.

 

Como aumentar a imunidade de bebés e crianças

  • A melhor forma de fortalecer o sistema imunitário dos bebés é investindo na amamentação, já que o leite materno contém todos os nutrientes que permitem o correto desenvolvimento das defesas;
  • No caso dos bebés a partir de 6 meses, é recomendado continuar a amamentação e garantir uma alimentação saudável e diversificada que inclua os alimentos mencionados anteriormente e os indicados em cada fase de desenvolvimento infantil;
  • Além disso, é importante que as vacinas estejam em dia e sejam mantidos bons hábitos de saúde, como evitar dar medicações sem a orientação do pediatra.

 

Como ter um corpo mais forte no combate aos agentes agressores

  • Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física e dormindo adequadamente (6 a 8 horas diárias);
  • Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, mas apenas 20 minutos por dia, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;
  • Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa;
  • Beber cerca de 2 litros de águamineral ou filtrada todos os dias.
  • Lavar as mãos várias vezes ao dia.

 

Principais crenças em relação ao Covid-19, de acordo com a OMS

 

O coronavírus não se transmite em lugares quentes e húmidos?

Falso. Até à data, a evidência mostra que o Covid-19 pode ser transmitido em qualquer clima. A melhor prevenção é a lavagem correta das mãos e evitar levar as mãos à boca, nariz e olhos.

 

Tomar um banho de água quente ajuda a prevenir o Covid-19?

Falso. A temperatura corporal ronda os 36,5 °C e os 37 °C. Tomar banhos muito quentes pode provocar queimaduras.

 

O secador das mãos mata o coronavírus?

Falso. A melhor maneira de se proteger é lavar corretamente as mãos e evitar o contato com a boca, nariz e olhos.

 

As vacinas contra a gripe e pneumonia protegem-me contra o coronavírus?

Falso. Ainda não existe vacina contra o coronavírus.

 

O Covid-19 só atinge a população mais idosa?

Falso. Pessoas de todas as idades podem contrair o Covid-19. No entanto, as pessoas mais idosas e com patologias associadas e descompensadas estão mais vulneráveis a ficarem severamente doentes se apanharem o coronavírus. É muito importante manter um estilo de vida saudável, seguir as recomendações de lavagem das mãos e higiene respiratória.

 

Posso tomar antibiótico para prevenir o Covid-19?

Falso. Os antibióticos só são eficazes contra bactérias e não contra vírus, como é o caso do coronavírus. No entanto, se for hospitalizado com covid-19, poderá ser necessário tomar antibióticos para infeções que possa contrair por ter as defesas debilitadas.

 

Se cada pessoa tomar consciência do que deve fazer e adotar atitudes preventivas, conseguimos limitar a disseminação do coronavírus. Juntos seremos sempre mais fortes!

 

Anabela Trindade
Consultora IHTP Academia Saúde e Bem-Estar

 

One response to “Covid-19: Informação é poder. Proteja-se do coronavírus!”

  1. Parabéns Anabela pelo excelente artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *