Como ultrapassar os desafios de ter um bebé prematuro

Como ultrapassar os desafios de ter um bebé prematuro

O nascimento de um bebé prematuro tem um impacto muito forte nos pais. Nada será como tinham idealizado ao longo da gestação. Todos os planos são alterados e postos à prova com muitos desafios para os quais não estavam preparados.

Para os pais, esta é uma experiência única e extremamente emocional. Desde logo, pelo impacto de terem um bebé de tamanho e peso menor do que o esperado.  Além disso, por verem o filho internado numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN).

É impactante para os pais ver um ser frágil e pequeno dentro de uma incubadora e rodeado por inúmeros equipamentos de apoio ao seu desenvolvimento. A tudo isto acresce a impossibilidade de poderem pegar no seu recém-nascido ao colo e aconchegá-lo nos braços.

 

Acompanhar um bebé prematuro é uma experiência emotiva

Por vezes, na UCIN, os pais não sabem bem para onde olhar. Sentem medo, incapacidade e frustração por nada poderem fazer. São dias intensos de superação e resiliência.

Os profissionais de saúde são fundamentais para ajudarem os pais a adaptarem-se melhor às novas rotinas e no apoio que podem dar ao bebé prematuro. É muito importante para o seu desenvolvimento o máximo acompanhamento possível dos progenitores.

De facto, ao contrário do que possam pensar, há muito para fazer e os pais devem aceitar participar, sempre que possível, nos cuidados diários do seu bebé. Até porque, quando saírem do internamento, vão estar muito mais preparados para os primeiros dias em casa.

 

Comunicação: O elo de ligação entre o bebé e os pais

Os pais devem aproveitar os melhores momentos. Estar atentos aos sorrisos, às espreguiçadelas, aos sons que o bebé emite, aos olhares e às reações quando este ouve a sua voz. São estes pequenos acontecimentos que os deixam iluminados por um sorriso.

Os bebés prematuros sorriem muito, espreguiçam-se muito e fazem sons característicos. Isto permite ter uma ideia de como se comportam no útero materno.

A comunicação é importantíssima! Devem ser usadas sempre palavras positivas e que motivem ao desenvolvimento. Por exemplo, “és um vencedor”, “um herói”, “és grande”, “és forte” e “estás cada vez melhor”. Conversar, cantar, rir e colocar música para o bebé é muito útil para o seu desenvolvimento cerebral.

 

O bem-estar da mãe e do bebé prematuro

Na gravidez, o equilíbrio emocional da mãe afeta o desenvolvimento do feto e o mesmo acontece após o nascimento. É importante manter a calma e descansar o melhor possível. O foco deve ser a mãe e o momento que está a viver.

Nesse sentido, deve-se criar uma espécie de “proteção contra terceiros” que querem sempre saber tudo. Essa tarefa deve ser delegada num familiar transmissor das novidades.

Dessa forma, evita-se a repetição de notícias e conversas que podem gerar mais ansiedade na mãe. Também a protege de sofrimento por antecipação. O treino mental pode ser um forte aliado para ultrapassar este momento.

A alimentação é outro fator que não deve ser descurado pelos pais para enfrentar esta fase, que pode ser longa. De forma a aguentar os dias passados na UCIN é importante não saltar refeições e beber bastante água. Ajuda a manter a energia e o equilíbrio e, no caso da mãe, é ainda mais relevante por causa da amamentação.

 

A importância de proteger a autoestima

Não deve existir, nesta fase, um descuido da autoestima, em especial da mãe que ainda está a recuperar do parto. É preciso que os pais tratem de si, para se sentirem o melhor possível. Tudo isto acaba por ser transmitido ao bebé.

Sempre que sintam necessidade, devem sair do hospital para:

  • Ir à rua e respirar fundo;
  • Ir ao cabeleireiro;
  • Ler um livro;
  • Rezar

Tudo isto ajuda a libertar a mente por algum tempo.

 

Como cuidar da saúde de um bebé prematuro?

É importante seguir as regras de higiene da UCIN para evitar bactérias, vírus e doenças facilmente transmissíveis aos bebés. Os mesmos cuidados devem depois ser aplicados em casa.

Um bebé prematuro tem defesas imunitárias baixas e mais facilidade em contrair doenças. Nesse sentido é importante:

  • Reduzir o número de visitas;
  • Evitar o contacto com pessoas doentes. Se forem os pais, devem usar máscara cirúrgica;
  • Lavar as mãos regularmente antes de tocar no bebé;
  • Evitar beijar o bebé na face.

Isto previne a propagação de doenças, contudo, nunca se deve deixar de dar carinho e mimo ao bebé. Trata-se apenas de uma fase e, quando passar, tudo será diferente. Até lá, todos os cuidados são importantes.

 

8 Dicas úteis para enfrentar a prematuridade

1. Aceitar, manter a calma e nunca sentir culpa pelo nascimento prematuro;

2. Sempre que possível, dê colo e exercite a técnica do canguru (pele a pele) pelo menos durante três horas seguidas por dia. Útil para o desenvolvimento do bebé e para o equilíbrio emocional parental, ajuda à criação de laços para a vida;

3. Deixar o bebé prematuro na UCIN é difícil, mas necessário. Na despedida, devem ser usadas frases de esperança;

4. Registar os melhores momentos de cada dia e o desenvolvimento porque, mais tarde, vão ter uma história lindíssima de superação e vitória. Se for acompanhada por vídeos e fotos, ainda melhor;

5. Seguir as recomendações da equipa médica e dos enfermeiros sobre como proceder em casa. Apenas com rigor é possível ter sucesso;

6. Visualizar a alta hospitalar e a chegada a casa do bebé prematuro;

7. Acreditar no poder humano de superação através de casos de sucesso;

8. Ter fé.

 

Os bebés prematuros são pequenos em tamanho, mas grandes em força e amor! Eles ensinam-nos a ser melhores pessoas, uma missão partilhada com a IHTP.

Acompanhe o nosso blog para descobrir como ultrapassar este e outros desafios que a vida lhe coloca. Subscreva-o e receba as novidades no seu email.

 

Terminamos com um pensamento:

 

“A partir de agora, nunca irá admitir que um único dia seja um dia qualquer. (…) Nunca irá considerar um passo da sua vida um simples passo.”

 

Ana Matos
Consultora e Coach IHTP Academia Saúde e Bem-Estar

 

One response to “Como ultrapassar os desafios de ter um bebé prematuro”

  1. Parabéns Ana pelo teu artigo 👌

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *